Novas profissões surgem em meio a pandemia do coronavírus

In Ciência e Tecnologia, Economia, Educação, Geral, Saúde

A crise sanitária vigente promoveu uma série de novas necessidades e modalidades profissionais, principalmente na área da tecnologia da informação

Melissa Oliveira Maciel

A pandemia impôs a necessidade de distanciamento social e outros cuidados. Isso modificou alguns hábitos da maioria dos cidadãos em diversos aspectos, tais como: trabalho, estudo e entretenimento. Nesse contexto, a tecnologia teve grande impulso no surgimento de novas profissões, impactando áreas como educação, saúde e economia.

Educação do futuro

De acordo com a neuropsicopedagoga Márcia Regina Santos de Souza, “a necessidade de novas tecnologias para o ensino à distância requer profissionais especializados em ferramentas próprias para sala de aula virtual, com especificidades para cada nível de aprendizagem, ou seja, programadores com fundamentação neuropedagógica”.

Além disso, ela ressalta a importância de gestores, coordenadores e profissionais de recursos humanos, repensarem seus métodos de atuação mediante as novas circunstâncias para coordenar professores e atender às necessidades de alunos e famílias no contexto da aprendizagem virtual.

Avanços na saúde 

A área da saúde também teve aspectos reformulados com o desenvolvimento da telemedicina, método que facilita a comunicação entre paciente e profissional da saúde. 

Com relação ao surgimento de novos empregos nesse campo, a ginecologista e obstetra Lorenza Todeschini explica que “profissionais da saúde afastados por serem de risco, podem passar a realizar certos atendimentos online por meio da telemedicina” e acrescenta que “técnicos em informática, cientistas e engenheiros da computação podem encontrar oportunidades para a criação de plataformas de atendimento na modalidade online, que se tornem mais intuitivas, seguras e eficientes”.

Novas possibilidades na economia

Em meio a crise econômica que se agrava em virtude da pandemia, o empreendedorismo também tem ganhado mais espaço. Segundo o CEO do fundo de investimentos DSX FIDC, Gilberto Danieli, a humanidade sempre passa por transtornos sociais e isso incentiva as inovações. “O ser humano é muito criativo e encontra meios de melhorar a vida”, ele avalia ainda que “algumas pessoas têm o empreendedorismo como essência e vislumbram oportunidades para seus negócios em meio a crises”.

Outro setor da economia beneficiado com a pandemia foi o de vendas e reparo de equipamentos eletrônicos, uma vez que o contingente de funcionários e estudantes que se voltaram para a modalidade home office foi considerável.

O microempreendedor do ramo, Sandro Moisés da Silva, afirma que a pandemia teve um impacto positivo em seu negócio à medida que houve aumento na procura por melhorias, tanto na estrutura de internet quanto de equipamentos. Ele ainda destaca que “os serviços mais procurados hoje, são reparos em equipamentos sucateados, preparação para home office e consultoria para empresas que querem colocar seus funcionários online e agilizar conexões”. Esse e outros setores se reinventaram em um período curto de tempo para atender às novas necessidades.

You may also read!

Relacionamentos tóxicos

Relacionamentos tóxicos interagem diretamente com a química cerebral

O ciclo vicioso que existe no cérebro quando se vive uma relação desse tipo pode ser comparado com o

Read More...
pressão arterial

Exercícios físicos combinados a remédios comuns auxiliam no tratamento de hipertensão

De acordo com o estudo, publicado na revista Clinical and Experimental Hypertension, a losartana é capaz de reduzir a

Read More...
Fome aumentou no Brasil após a pandemia.

Número de brasileiros passando fome no Brasil praticamente dobra após pandemia

Aproximadamente 33 milhões de brasileiros não têm o que comer, o que equivale a 14 milhões a mais que

Read More...

Leave a reply:

Your email address will not be published.

Mobile Sliding Menu