Após tomada de poder, Talibã deseja se pronunciar na ONU

In Geral, Política

Representantes querem a troca de embaixador e pedem para dialogar com autoridades mundiais na Assembleia Geral.

Ester Leite

O atual Governo do Talibã nomeou seu porta-voz, Shuhail Shaheen, como embaixador do Afeganistão nas Nações Unidas. Além disso, ainda pediu em carta a Antônio Guterres, secretário-geral da ONU, para discursar na 76ª Assembleia, que ocorreu do dia 14 a 30 de setembro, segundo visto pela Reuters, agência de notícias britânica.

O pedido de envio do porta-voz como representante à ONU, gerou incômodo, uma vez que cada Governo envia uma representação legitimamente escolhida. Com a quebra do poder anterior, surge a indagação de autenticidade. A ONU se preocupa com a autodeterminação dos povos, então, até que ponto a população concorda que a troca é fundamental para a organização. 

Segundo a graduanda de Relações Internacionais da Universidade Federal Fluminense, Ana Carolina, a troca de poder pode influenciar nas relações exteriores e internacionais bilaterais ou regionais que o Afeganistão tenha. Isso, uma vez que a visão cultural de cada país influencia em sua interpretação da legitimidade da troca de comando.

Diferente da Rússia e China, que se posicionaram para manter relações comerciais normalmente com o grupo afegão,  os Estados Unidos e outros países da União Europeia demonstraram preocupação por conta de sua visão ocidentalizada de direitos humanos e democracia. Para Guterres, o pedido feito pelo grupo Talibã de reconhecimento internacional, pode ser o único meio das outras nações exigirem deles o cumprimento dos direitos, principalmente das mulheres, diz em publicação da CNN.

Embora as autoridades venham assumindo um discurso de mudança, a sua interpretação extremista da lei islâmica Sharia, pode ameaçar os direitos básicos das mulheres, como o acesso à educação. Restrição essa que prejudica o avanço do país, como comenta Ana: “Isso corta a possibilidade de maior desenvolvimento econômico, maior desenvolvimento científico, mais equidade, menos risco de conflito armado”. 

Mudança de Pasta

O comando extremista irá substituir a pasta de Assuntos Femininos pela do Ministério da Propagação da Virtude e Prevenção do Vício, conhecida por aplicar políticas severas e violações dos direitos humanos, no seu primeiro governo no país, em 1990.

Embora o novo Governo diga que agirá com equilíbrio, comparado à sua primeira concessão de poder, as mulheres em sua maioria não têm autorização para trabalhar e o gabinete é composto apenas por homens. Até então as autoridades do Talibã não quiseram se pronunciar à Agence France- Presse (AFP), agência francesa de notícias, a qual também registrou a substituição da placa da pasta por trabalhadores. 

You may also read!

Ponte Estaiada ganha iluminação para campanha contra fibrose cística

Monumento em São Paulo ganha uma iluminação nova para campanha contra a doença.  Bruno Sousa Na zona sul do estado

Read More...

CPI da Covid chega aos últimos depoimentos e continua assistindo polêmicas

Na semana do dia 4 de outubro, a CPI assiste aos últimos depoimentos e o presidente da Comissão prevê

Read More...

Tempestade de areia atinge cidades do interior de São Paulo e causa medo

Seca e queimadas são os principais fatores que  favorecem a ocorrência do fenômeno. Rachide Incote Uma enorme nuvem de

Read More...

Leave a reply:

Your email address will not be published.

Mobile Sliding Menu