Após tomada de poder, Talibã deseja se pronunciar na ONU

In Geral, Política

Representantes querem a troca de embaixador e pedem para dialogar com autoridades mundiais na Assembleia Geral.

Ester Leite

O atual Governo do Talibã nomeou seu porta-voz, Shuhail Shaheen, como embaixador do Afeganistão nas Nações Unidas. Além disso, ainda pediu em carta a Antônio Guterres, secretário-geral da ONU, para discursar na 76ª Assembleia, que ocorreu do dia 14 a 30 de setembro, segundo visto pela Reuters, agência de notícias britânica.

O pedido de envio do porta-voz como representante à ONU, gerou incômodo, uma vez que cada Governo envia uma representação legitimamente escolhida. Com a quebra do poder anterior, surge a indagação de autenticidade. A ONU se preocupa com a autodeterminação dos povos, então, até que ponto a população concorda que a troca é fundamental para a organização. 

Segundo a graduanda de Relações Internacionais da Universidade Federal Fluminense, Ana Carolina, a troca de poder pode influenciar nas relações exteriores e internacionais bilaterais ou regionais que o Afeganistão tenha. Isso, uma vez que a visão cultural de cada país influencia em sua interpretação da legitimidade da troca de comando.

Diferente da Rússia e China, que se posicionaram para manter relações comerciais normalmente com o grupo afegão,  os Estados Unidos e outros países da União Europeia demonstraram preocupação por conta de sua visão ocidentalizada de direitos humanos e democracia. Para Guterres, o pedido feito pelo grupo Talibã de reconhecimento internacional, pode ser o único meio das outras nações exigirem deles o cumprimento dos direitos, principalmente das mulheres, diz em publicação da CNN.

Embora as autoridades venham assumindo um discurso de mudança, a sua interpretação extremista da lei islâmica Sharia, pode ameaçar os direitos básicos das mulheres, como o acesso à educação. Restrição essa que prejudica o avanço do país, como comenta Ana: “Isso corta a possibilidade de maior desenvolvimento econômico, maior desenvolvimento científico, mais equidade, menos risco de conflito armado”. 

Mudança de Pasta

O comando extremista irá substituir a pasta de Assuntos Femininos pela do Ministério da Propagação da Virtude e Prevenção do Vício, conhecida por aplicar políticas severas e violações dos direitos humanos, no seu primeiro governo no país, em 1990.

Embora o novo Governo diga que agirá com equilíbrio, comparado à sua primeira concessão de poder, as mulheres em sua maioria não têm autorização para trabalhar e o gabinete é composto apenas por homens. Até então as autoridades do Talibã não quiseram se pronunciar à Agence France- Presse (AFP), agência francesa de notícias, a qual também registrou a substituição da placa da pasta por trabalhadores. 

You may also read!

Enxaqueca aura: entenda como funciona e como tratar

Dentre os três tipos de enxaqueca, a com aura é a que se caracteriza pelas alterações sensoriais.

Read More...

Cidadãos sem registro ainda são problema no Brasil

Cerca de 2.7 milhões de brasileiros não possuem certidão de nascimento. Gabrielle Ramos O registro de nascimento é um

Read More...

6 filmes para assistir com sua mãe

Confira alguns filmes que separamos para você curtir um feliz dia das mães da melhor forma.

Read More...

Leave a reply:

Your email address will not be published.

Mobile Sliding Menu