Mês dourado atenta para a importância da amamentação

In Geral, Saúde

A exemplo de campanhas como outubro rosa e novembro azul, este mês chama atenção para a importância do aleitamento materno

Lia Costa

O banco de leite de Campinas restringiu atendimento aos prematuros da maternidade por falta de estoque. Quem deveria ser referência na região atendendo a cidade inteira, mal recebe coletas de doações. A última informação do Banco de Leite Humano em Campinas revela que no início do mês só havia 3 litros de leite disponíveis. Responsáveis e profissionais da saúde concordam que a conscientização da importância de doação de leite materno é necessária.

Celestina Grazziotin é consultora internacional em aleitamento materno e coordenadora do banco de leite do Hospital de Clínicas em Curitiba, além de ser Mestre em Saúde da Criança. Ela atenta para a falta de orientação às mulheres no pré-natal em relação a ensinar posição e pega correta, por exemplo. O banco de leite ajuda em casos de doentes, prematuros, gêmeos e não bebês em casa que tem mãe. “Toda mulher que teve bebê, se teve apoio bem adequado, consegue ter leite e amamentar. Falta apoio”, adverte Celestina. A especialista orienta que as mães que tem dificuldade devem procurar ajuda profissional. Além disso, chama atenção para as unidades de saúde oferecer apoio a essas mães.

Joseli Gomes é mãe de quatro: três meninas e um menino. Ela doou leite no hospital após o parto em todas as gestações, mas teve dificuldade de amamentar por ter desenvolvido rachaduras no seio. “Sofri mais amamentando do que no parto”, afirma. A manicure confessa que chorava quando sabia que os filhos iam acordar. Durante a amamentação, ela apertava a mão do esposo para descarregar a dor que sentia. Fez tudo o que mandaram fazer, mas não tinha jeito. Ainda assim, diz ter valido a pena. “Quando eles acordavam o leite já descia, é uma ligação de Deus, você sente”, revela em tom nostálgico.

De acordo com a Organização Mundial da Saúde e pesquisas científicas, o leite humano preenche necessidade de crianças até seis meses de vida. “O leite materno é o alimento mais completo que existe no mundo”, aponta a nutricionista infantil Karine Durães. Ele atende todas as necessidades de nutrientes e sais minerais da criança como: ômega 3, vitamina K, água, carboidrato, gordura e todos os micro e macro nutrientes disponíveis em quantidade adequada. O leite materno também tem substâncias que ajudam a proteger e aumentar a imunidade, além de conter fatores que melhoram e regulam a flora intestinal.  Karine amamentou por 2 anos e 8 meses.

Para a nutricionista, a sociedade ainda tem preconceitos com a amamentação, inclusive o meio médico que indica o desmame a partir de 1 ano de idade ou a introdução de fórmula infantil. “Nossa licença maternidade de 4 meses é uma licença que não ajuda a mãe a amamentar exclusivamente”, reclama Karine. O escândalo que causa uma mulher amamentar em público também é algo que precisa mudar, porque de acordo com Karine, só consegue amamentar quem tem exemplos sobre amamentação. “O mundo inteiro ganha com a amamentação, então todo mundo deveria de alguma maneira incentivar o aleitamento materno”, incentiva.

*Foto: https://goo.gl/PeMdZf

You may also read!

Como são medidos os terremotos?

Os sismógrafos são os instrumentos que registram as ondas sísmicas provocadas pelo movimento das placas tectônicas. Davi Sousa Dois

Read More...

Você conhece a Síndrome de Wendy?

Quando o cuidado excessivo se torna uma armadilha. Nicoly da Maia No dia a dia, muitas pessoas colocam as

Read More...

Enxaqueca aura: entenda como funciona e como tratar

Dentre os três tipos de enxaqueca, a com aura é a que se caracteriza pelas alterações sensoriais.

Read More...

Leave a reply:

Your email address will not be published.

Mobile Sliding Menu