Conheça os setores de trabalho mais aquecidos de 2023

In Economia, Geral

Área de tecnologia é uma das mais promissoras do mercado de trabalho de acordo com levantamento realizado pelo LinkedIn.

Yasmim Ferreira

Após o período de pandemia da Covid-19, o mercado de trabalho viu a necessidade de se adequar às transformações e inovações. De acordo com uma pesquisa divulgada pelo LinkedIn, algumas áreas, empresas e cargos tiveram dificuldade de adequação. Por outro lado, setores como o de finanças, serviços e tecnologia foram alguns que tiveram seu crescimento acelerado e se mantiveram na lista das áreas mais aquecidas do mercado.

Notícias como essas são animadoras, pois de acordo com IBGE, em 2022 o Brasil fechou com uma taxa de desemprego de 9,3%. Os dados levantados pela “Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua”, a PNAD, mostram a recuperação que o mercado tem tido após a pandemia.

Margarete Chinaglia, consultora e coach de carreira, acredita que  “a pandemia acelerou a tendência de crescimento do mercado nas áreas de tecnologia, finanças e serviços”. Sendo assim, tais setores tiveram “momentos corridos” para inovar, criar e aprender. Para a especialista, ainda cabe ao profissional estar preparado e em constante movimento para, como a mesma se refere, assumir a lei da oferta e procura.

Um dos problemas encontrados por Ester Ferreira, que trabalha na área de recursos humanos há 9 anos, é justamente a escassez de mão de obra qualificada que demanda mais dedicação e procura para recrutadores de diversos setores. Atualmente, sua especialização é como Tech Recruiter, um tipo de profissional que realiza recrutamento para a contratação dentro da área de tecnologia. “Às vezes as vagas demoram a ser preenchidas por não encontrarmos pessoas qualificadas”, declara.

Tecnologia é o maior destaque

Diante da transformação digital, não é novidade que um dos setores em alta no Brasil seja o de tecnologia. A digitalização é pauta no Brasil muito antes do país se estabelecer como o segundo país do mundo com governo mais digitalizado. Um estudo feito pela Associação do setor de tecnologia da informação e comunicação (TIC) apontou que de 2021 até 2025, as empresas dessa área terão alta procura e vão demandar 797 mil profissionais. A projeção é de que tenha um déficit anual de 106 mil talentos. 

O fundador do site primeiravaga.tech, Leonardo Ferraz, não se surpreende mais com o crescimento constante da área. O profissional que atua como desenvolvedor web conta que percebeu a evolução e crescimento da tecnologia, que é uma “área fundamental para o desenvolvimento econômico e social de qualquer país”.

São diversas áreas de atuação dentro desse meio, mas para Leonardo, as que mais se destacam hoje são: desenvolvedor(a) web, cientista de dados, analista de segurança da informação e especialista em inteligência artificial. “São funções que exigem habilidades específicas e conhecimentos técnicos avançados, mas que também oferecem muitas oportunidades de crescimento profissional e pessoal”, conclui.

Sabendo das oportunidades que encontraria nesse meio, Gabriel Cilóe trancou seu curso de Nutrição para cursar Engenharia de Software. O jovem, que atua em suporte de TI, sonha um dia voltar e se formar como nutricionista, e comenta que gosta do curso ser abrangente e ajudá-lo a ser valorizado no mercado. “Mesmo sendo um pouco difícil de se destacar, o desafio me motiva a me esforçar cada vez mais”, explica.

A questão salarial pode variar de acordo com a função exercida e o regime de contrato. Ele pode ser um contrato CLT, que costuma ter mais direitos e um salário menor, ou é um prestador de serviços(PJ), que pode pagar um valor mais alto, entretanto, sem as mesmas proteções da lei.

Setor de Serviços

Mesmo com a tecnologia em destaque, o setor que mais contratou profissionais entre 2021 e 2022 foi o de serviços. Em janeiro deste ano, seguiu na frente como um dos maiores geradores de empregos formais, com a criação de 40.686 postos de trabalhos, segundo dados divulgados pelo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), da Secretaria de Trabalho do Ministério da Economia.

A área engloba o transporte, alimentação, comunicação, atividades financeiras, imobiliárias, administração pública, turismo, entretenimento, entre outros, e foi uma das que sofreram com uma grande perda no período de pandemia, de acordo com a consultora Margarete.  

Caroline Brandão é estudante de Química e atua na área de eventos há 5 anos. Ela revelou que nunca havia sido contratada para tantas festas como tem sido nesse ano. “No isolamento foi muito difícil. Não podíamos trabalhar por questões de segurança, mas parece que tudo o que foi reprimido durante esse período, está sendo colocado em alta agora”, revela.

Setor financeiro oferece vagas de trabalho

Em terceiro lugar, encontramos a área financeira como destaque. De acordo com o boletim Focus divulgado pelo Banco Central (BC), a previsão de crescimento da economia brasileira subiu para 0,85% neste ano. Os dados são de causar grande expectativa e otimismo, impactando diretamente no mercado de trabalho com a criação de novas vagas de emprego.

De acordo com Margarete, os profissionais da área de finanças devem se adaptar tanto nas habilidades quanto nas tecnologias para suprir as demandas das instituições. Ela diz que o setor teve um crescimento “com a finalidade de melhorar a digitalização, a hiper automação com novos meios de pagamentos, redes associativas e utilização de soluções em nuvem.”

A lista divulgada pelo LinkedIn mostra que o mercado financeiro deve ser o que mais contratará profissionais, com oportunidades para diversos níveis de especialidade. Dentre as posições que se destacaram temos: Redator SEO, redator(a) com foco na experiência do usuário, analista de sucesso do cliente, especialista em experiência do usuário, executivo(a) de contas de grandes contratos, gerente de crescimento e analista de privacidade.

Aqueles que escolherem essa profissão para atuar, poderão encontrar uma situação muito comum nas instituições: o bônus salarial, além de salários que podem chegar até R$48.350 mil reais, em cargos como o de diretor de sales trader.

Mesmo essas sendo algumas das áreas aquecidas no mercado de trabalho atualmente, Ester Ferreira afirma que as necessidades de cada setor podem mudar rapidamente, podendo ter novos setores em alta em pouco tempo. Portanto, é importante que os profissionais busquem se aperfeiçoar, manter atualizados e se desenvolver constantemente.

A dica deixada por Margarete para aqueles que querem conseguir um bom emprego nesses setores é sobre a necessidade de investir no seu desenvolvimento técnico, comportamental e emocional. “Não espere acontecer, esteja preparado sempre. A responsabilidade é sua”, conclui.

You may also read!

Votação na Câmara aprova privatização da Sabesp

Elinelma Santos A Câmara Municipal do Estado de São Paulo aprovou nesta quarta-feira (17) a privatização da Sabesp (Companhia

Read More...

Excesso de proteína aumenta o risco de doenças cardiovasculares

Proteínas devem ser consumidas com equilíbrio, segundo especialistas. Késia Grigoletto  O excesso do consumo de proteínas aumenta o risco

Read More...

Jovens se sentem mais felizes sem o celular, diz pesquisa

Entenda como os adolescentes lidam com o tempo de tela. Luiza Strapassan O uso do celular entre os jovens

Read More...

Leave a reply:

Your email address will not be published.

Mobile Sliding Menu