Empresas adotam jornada de quatro dias de trabalho por semana

In Economia, Geral

O Brasil é um dos locais que está adotando essa nova forma de trabalho, além de alguns países da Europa e Ásia.

Nycole de Souza

A jornada de trabalho de quatro dias por semana começou a ser aplicada em diversos locais, como Espanha, Nova Zelândia e Japão. No Brasil, apenas duas empresas estão testando este novo formato: Zoo.Dog e Shoot. Elas adotaram a diminuição da carga horária e viram resultados positivos após a mudança. 

Essa diminuição de carga horária ajudou a ter equilíbrio entre a vida pessoal e o trabalho, aumentando de 54% para 78% o desempenho dos funcionários. As empresas que estão optando em fazer essa redução procuram não diminuir o salário e visam a melhor forma de conciliar as duas coisas para que o empregado continue satisfeito com as decisões.

Adaptações necessárias para a mudança

A Shoot, uma agência de comunicação localizada no sul do país, adotou essa forma de trabalho no começo de 2022. A empresa atualmente não possui filiais e nem sede, pois trabalha de forma remota desde outubro de 2018 e hoje possui pessoas em três países diferentes, além de três estados brasileiros.

Artur Scartazzini, CEO da empresa, diz como foi essa adaptação. “A ideia surgiu do formato de trabalho que já estávamos atuando (remote work). Se não estamos juntos e cada um trabalha de onde quiser, porque as pessoas precisam estar conectadas 8h por dia se ninguém tem a capacidade mental de produzir essa quantidade de horas? Partimos do princípio que as pessoas produzem em alto nível no máximo 6h por dia e contratamos horas de produtividade e não de disponibilidade”, diz o gestor. 

O desempenho dos funcionários é outro aspecto que motivou a transformação no modelo de trabalho. “O desempenho fica igual ou aumenta pelo simples motivo de trabalharmos mais focados no que precisamos realmente fazer enquanto estamos trabalhando. Quando não estamos trabalhando, podemos cuidar da nossa vida pessoal sem precisar pedir permissão”, ressalta Scartazzini.

O modelo de salários da Shoot é diferenciado, o que não significa uma redução nos valores pagos aos funcionários. “O salário não diminuiu, apenas orientamos um formato diferente. Não contratamos 44h semanais de disponibilidade das pessoas, que é regra da CLT hoje. Contratamos pensando em 24h de produtividade. Não reduzimos o número de trabalhos que pegamos, então, não teria um motivo para reduzir o salário”, explica o CEO. 

Uma visão profissional

A psicóloga Fredyanne Guimarães acredita que a redução da jornada de trabalho pode contribuir na vida pessoal dos trabalhadores. “Acredito que com a diminuição da jornada de trabalho, sobra um pouco mais de tempo para o trabalhador organizar sua vida social e pessoal. A grande maioria da classe trabalhadora desempenha inúmeros papéis na sociedade como: os cuidados com o lar, família, estudos, duplas jornadas de trabalho para complementar a renda, cuidados com a saúde, momentos de lazer e descanso”, ressalta. 

O trabalho em excesso também traz problemas aos profissionais. “A sobrecarga de trabalho costuma ser motivo de muitas formas de adoecimento (físico e mental) devido aos altos níveis de estresse, ansiedade, cansaço, fadiga, também sintomas mais agudos como dor de cabeça, dores musculares, tensões entre muitos outros”, aponta a psicóloga. 

Fredyanne ainda aponta que os prejuízos no âmbito da saúde, como desgaste emocional, afetam diretamente o rendimento profissional e a motivação para o trabalho. Neste sentido, uma rotina de trabalho equilibrada e organizada, que respeite os limites do corpo humano é fundamental para um bom desempenho profissional e mais produtividade.

Joyce Montenegro é uma estudante que trabalha diariamente em uma clínica de estética e fala sobre como é trabalhar e estudar ao mesmo tempo. “O cansaço em excesso da responsabilidade do trabalho faz com que a energia se esgote e a concentração diminua para focar em uma leitura ou para focar em uma aula com várias informações para absorver”, explica. 

A estudante ressalta que se houvesse uma redução de carga horária em seu trabalho, deixaria um espaço para se organizar melhor, conciliar o estudo e trabalho. “Com certeza aumentaria a disposição para cumprir todas as responsabilidades no trabalho. Eu não teria aquele esgotamento mental por não conseguir cumprir todas as responsabilidades pessoais por causa de um horário excessivo que traz muito estresse”, relatou.

You may also read!

“Memórias Póstumas de Brás Cubas” faz sucesso nos EUA

O livro se encontra em primeiro lugar nas vendas da Amazon de literatura latina após viral na internet. Davi

Read More...

Japão: o centro da convergência cultural entre oriente e ocidente

Série Xógum retrata relações conflituosas no Japão antigo que permanecem preocupações econômicas e políticas no Japão contemporâneo.  Paula Orling

Read More...

Entenda a polêmica da PEC das praias

A polêmica levou o relator da proposta no Senado, Flávio Bolsonaro, a afirmar que vai alterar o texto da

Read More...

Leave a reply:

Your email address will not be published.

Mobile Sliding Menu