Lucro das empresas brasileiras cresce com o dólar mais barato

In Economia, Geral

Percentual estimado em 20% não foi suficiente para elevar o número de vendas.

Gabrielle Ramos Venceslau 

As empresas brasileiras aumentaram seus lucros em 19,5%, no segundo trimestre de 2023. Esse percentual totaliza um valor agregado de R$34,2 bilhões, aproximadamente R$4,6 bilhões a mais em relação ao mesmo período no ano passado. Isso se deve a queda da taxa de câmbio do dólar entre abril e junho deste ano. 

Este levantamento foi realizado por Einar Riveiro, da TradeMap, uma plataforma de investimento. Ele analisou os resultados financeiros de 295 empresas não financeiras e excluiu números de companhias como Petrobras, Vale e Marfrig, pois poderiam distorcer a avaliação. 

Mudança de contexto econômico

A cotação do dólar encerrou este período em R$4,82, quarenta e dois centavos a menos em relação ao segundo trimestre de 2022, quando a moeda norte-americana estava avaliada em R$5,24 no Brasil. Apenas as empresas que possuíam ações na B3 se beneficiaram dessa situação. “Elas têm dívidas que são cotadas em dólar, o que ocasiona saldo positivo ou negativo de acordo com a variação cambial”, explica a economista Viviane Morais.

No primeiro trimestre do ano passado, havia incerteza política no Brasil e internacionalmente, levando a uma fuga de dólar. “Isso aumentou o custo para as empresas e diminuiu o poder de compra das famílias”, afirma o professor de economia da Universidade de Araraquara, Sandro Gonçalves.

Já neste mesmo período deste ano, a incerteza política e internacional foi dissipada, a comparação com outros países emergentes se tornou favorável e o preço das commodities aumentou. “Tudo isso contribuiu para a queda de 5,14% do dólar e tornou o Brasil mais propício ao investimento internacional”, explica o economista.

Dólar caiu e não estimulou as vendas

Apesar desse contexto, as vendas destas empresas não aumentaram. Pelo contrário, tiveram uma baixa de 1,6% em suas receitas, comparado ao mesmo período no ano passado. Esse valor chega a um total de menos R$722 bilhões em vendas. “A justificativa é o período de desaquecimento pelo qual o país passa, com juros mais altos que tornam a concessão de crédito e financiamentos mais caros”, explica a economista.

Assim, a disponibilidade de compra à vista é dificultada e leva as pessoas a recorrerem a empréstimos e financiamentos, que estão mais caros atualmente. “Isso acaba sendo um impedimento para o aumento do consumo”, comenta Sandro Gonçalves.

Atualmente a Selic, taxa básica de juros, está em 12,75% ao ano. Esse percentual se dá ao ciclo de cortes nos juros que o Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central do Brasil (BC) fez em suas últimas reuniões. “Entretanto, o efeito de juros mais baixos demora cerca de seis meses para ser sentido na economia de fato”, afirma Viviane Morais. 

O que é a B3?

A B3 é uma bolsa de valores brasileira, sediada na cidade de São Paulo. É uma das maiores bolsas do mundo em termos de tecnologia, pois oferece compras e vendas de ações pelo celular, por exemplo. Além disso, tem como objetivo, promover o crescimento econômico das empresas, gerando empregos, impostos e lucros para atender às necessidades da sociedade. 

You may also read!

Comida é recurso para lidar com problemas emocionais: entenda os riscos

Pesquisa revela que a maioria dos brasileiros acredita que comer em excesso melhora a saúde mental.

Read More...

Votação na Câmara aprova privatização da Sabesp

Elinelma Santos A Câmara Municipal do Estado de São Paulo aprovou nesta quarta-feira (17) a privatização da Sabesp (Companhia

Read More...

Excesso de proteína aumenta o risco de doenças cardiovasculares

Proteínas devem ser consumidas com equilíbrio, segundo especialistas. Késia Grigoletto  O excesso do consumo de proteínas aumenta o risco

Read More...

Leave a reply:

Your email address will not be published.

Mobile Sliding Menu