Meditar pode ser tão eficaz quanto tomar remédios para ansiedade

In Geral, Saúde

Especialista explica que a meditação é essencial no controle de qualquer doença.

Sâmilla Oliveira

Com uma rotina tão agitada, parar, respirar e se concentrar no momento não são coisas fáceis de se fazer. De acordo com um estudo de Harvard, a meditação tem sido cada vez mais utilizada como uma prática terapêutica para ajudar pessoas que sofrem de ansiedade. 

A técnica, que consiste em concentrar a atenção no momento presente e em respirar profundamente, pode ajudar a reduzir a ansiedade e melhorar a qualidade de vida. Um estudo da revista Jama Internal Medicine mostrou que a meditação pode ser tão eficaz quanto os medicamentos para a ansiedade no tratamento a curto prazo. 

Segundo Juliana Carvalhaes, fundadora do Instituto Nacional de Meditação, a meditação reduz a ansiedade porque diminui o cortisol plasmático, hormônio que em quantidades altas causa estresse, e diminui inflamações. “Na hora da prática da meditação, o cortisol é reduzido em até 30%. Tudo isso coloca a pessoa em um estado de relaxamento profundo”, explica. 

Juliana explica que a meditação geralmente é praticada duas vezes ao dia para preparar a pessoa para o dia de trabalho e para a noite de descanso. “Isso ajuda a ter um sono profundo e reparador. Assim, a pessoa acorda com mais facilidade e se sente mais descansada”, afirma.

Conheça os benefícios 

A especialista afirma que os motivos que a levaram a buscar aprender sobre a meditação foram a ansiedade, pânico e depressão. “É muito fácil se perder na sensação de que precisamos controlar tudo a qualquer custo. Antecipar problemas não é a solução”, declara. Ela conta que existem pelo menos 300 tipos de meditação. Segundo ela, foi através disso que ela encontrou uma ferramenta para se livrar das doenças da mente. 

Luiza Bittencourt é especialista em Neurociências e Comportamento. Segundo ela, a prática regular da meditação é capaz de mudar o nosso cérebro. Ela conta que tem alunos que puderam se desvencilhar de remédios ao manter a frequência correta da prática. “Além da ansiedade, enxaqueca, convulsão e gastrite nervosa são exemplos de doenças que podem ser controladas com a meditação”, afirma. 

Luiza acredita que a meditação é um método complementar essencial no controle de qualquer doença. Ela conta que aumentar a consciência do momento presente e desenvolver a capacidade de lidar com pensamentos e emoções negativas é um passo importante para uma vida mais saudável. 

Como meditar?

Luiza explica que se você tem um corpo, uma mente e se você respira, você será bem-sucedido. Meditação não é esvaziar a mente. Isso é impossível! “Acabar com esse mito é muito importante. Nós pensamos porque nossa mente foi feita para pensar”, comenta.

A especialista afirma que o importante é estar em uma posição correta, estar sempre alerta e confortável. Ela conta que é obrigatório sentar na famosa posição de lótus no chão. Até em uma cadeira ou mesmo na cama, é possível meditar. “Começar com poucos minutos vai fazer diferença no seu dia e já vai deixar você mais motivado”, ressalta Luiza. 

Segundo Luiza, além de problemas com ansiedade, a meditação também pode colaborar com o controle da autocobrança e da autossabotagem. “Encaixe alguns minutinhos no seu dia para se concentrar no momento, não tem um horário melhor ou pior. Procure o que funciona na sua rotina agora, anote, coloque um alarme e faça! Vai fazer toda a diferença”, finaliza.

You may also read!

Dengue e Covid: os diferentes sintomas das doenças

Febre e dor de cabeça são sintomas comuns, e especialistas apontam quais devemos nos alertar.  Davi Sousa O Brasil

Read More...

Como as microssonecas afetam nossa saúde

As “inofensivas” sonecas que duram apenas segundos podem significar uma péssima rotina de sono. Nicoly da Maia As microssonecas

Read More...

Governo lança programa com investimentos de R$ 700 milhões para Amazônia

A parceria com 70 municípios prevê a redução de desmatamentos e incêndios zero até 2030 na Amazônia. Elinelma Vasconcelos

Read More...

Leave a reply:

Your email address will not be published.

Mobile Sliding Menu