Vacina BCG e seus efeitos em outras doenças

In Geral, Saúde

Doenças como o câncer e a covid-19 podem sofrer influência da vacina contra tuberculose.

Maria Fernanda de Chire

A vacina BCG foi criada em 1921 por Leon Calmette e Alphonse Guérin Amette. O imunizante protege contra doenças graves como meningite, tuberculose e tuberculose miliar. Ela deve ser aplicada a partir do nascimento até os 4 anos de idade. Essa vacina é feita por meio de partes inativas da bactéria, de maneira que estimula a imunidade, criando anticorpos. É conhecida por alguns pela cicatriz característica no braço.

A tuberculose, principal doença que pode ser protegida por essa vacina, é uma enfermidade grave causada pela bactéria Mycobacterium Tuberculosis, que afeta os pulmões, ossos, rins e meninges. Alguns dos principais sintomas são tosse, acompanhada de expectoração de sangue e falta de ar. Também pode ser assintomática, ainda assim os contaminados podem transmitir a doença.

A BCG contra o câncer

Desde o século 19, o tratamento do câncer já era feito com algo semelhante à vacina BCG. Os primeiros resultados das micobactérias foram visíveis no século 20. Posteriormente, quando feito esse descobrimento, a BCG era aplicada diretamente na bexiga para pacientes com câncer.

Além das doenças infecciosas, os efeitos da BCG também podem ser notados em outras prevenções. Isso porque, a vacina ativa as células do sistema imunológico da bexiga para que o melanoma seja destruído, dando um efeito positivo nos pacientes. Para destruir as células cancerígenas, o sistema imunológico tem muitas armas que são efetivas contra as bactérias que entram nas células.

A American Cancer Society diz que a terapia com BCG é a imunoterapia intravesical mais comum para o tratamento do câncer de bexiga em estágio inicial. Ainda segundo a organização, é comum ter sintomas semelhantes aos da gripe, como febre, dores, calafrios e fadiga, que podem durar de 2 a 3 dias após o tratamento. Também é comum que cause sensação de queimação na bexiga, necessidade de urinar com frequência e até sangue na urina.

A BCG protege contra a covid-19?

Os cientistas acreditam que a vacina BCG poderia ser de ajuda no avanço e desenvolvimento das vacinas contra a covid-19 por ter um efeito de imunidade. O doutor Rafael Bobadilla explica que “devido ao efeito que a vacina tem sobre as células T do corpo, a produção de interferon gamma (INF-Y) e a proliferação de linfócitos são de suma importância para ajudar a resolver as infecções e proteger contra a reinfecção, proporcionando uma imunidade duradoura”.

Ainda assim, a variação de proteção que oferece a vacina BCG tem efeito de proteção não comprovado. Devido a isso, a exposição a outros micro-organismos da mesma família podem fazer com que o sistema imunológico funcione de forma errada. A diferença genética também pode gerar reações menos eficientes à vacina. A Organização Mundial da Saúde aponta que os avanços da vacina continuam em estudo e, embora possa combater muitas doenças, deve ser supervisionada por profissionais da área.

You may also read!

Jovens se sentem mais felizes sem o celular, diz pesquisa

Entenda como os adolescentes lidam com o tempo de tela. Luiza Strapassan O uso do celular entre os jovens

Read More...

Programas de exercícios melhoram a qualidade de vida de pacientes com câncer de mama metastático

A atividade física é benéfica para pacientes com câncer de mama avançado, melhorando a qualidade de vida, reduzindo a

Read More...

Hábito de roer as unhas atinge até 30% da população global

Roer as unhas pode parecer uma reação normal ao estresse e ansiedade, mas pode apresentar nocividade à saúde. Eduardo

Read More...

Leave a reply:

Your email address will not be published.

Mobile Sliding Menu