Chuvas devastam Rio Grande do Sul

In Geral

O Rio Grande do Sul enfrenta o maior desastre do estado e chuvas devem continuar até segunda-feira (6).

Julia Viana e Gabrielle Ramos 

Desde 26 de abril, quando o  Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) emitiu um alerta de tempestades para o Rio Grande do Sul, o estado enfrenta forte volume de chuvas. Os temporais acima da média estão causando inundações, elevando os níveis dos rios e levando várias áreas a um estado de alerta máximo.

No início, as previsões ainda eram de chuvas em pontos específicos do estado, mas ao longo dos dias o caso foi se agravando. Em menos de um ano, o Rio Grande do Sul foi assolado por quatro desastres climáticos, com três eventos ocorrendo em junho, setembro e novembro de 2023, resultando em 75 vítimas fatais.

O aumento das chuvas provocou um alerta na cidade de Porto Alegre que decretou estado de calamidade pública na noite de ontem (2). Além disso, Santa Maria, na região central do estado, enfrentou um volume acumulado de 215,4 milímetros de chuva em apenas 24 horas na última terça-feira, conforme dados do Inmet.

Balanço da Defesa Civil 

De acordo com o último relatório da Defesa Civil do Rio Grande do Sul, aproximadamente 154 dos 496 municípios do estado foram impactados pelas intensas chuvas. O número total de afetados, contabilizando enchentes, deslizamentos de terra e transbordamento de rios, chega a 71,3 mil pessoas. Destas, 10.242 estão desalojadas e 4.645 encontram-se abrigadas.

Até o momento, há ao menos 32 mortes confirmadas e 60 pessoas ainda estão desaparecidas, conforme informações divulgadas pelas prefeituras, Corpo de Bombeiros, Polícia Militar e órgãos locais. 

A Defesa Civil de Porto Alegre emitiu um novo alerta, sugerindo a possibilidade de continuidade das chuvas intensas até às 12h da próxima segunda-feira (6).

Ações do governo

Segundo informações do gabinete de crise do governo gaúcho, instituído para monitorar a situação emergencial no estado, estima-se que os danos ocasionados pelas chuvas totalizem cerca de R$ 100 milhões. 

Para resolver a situação, o ministro das Cidades revelou que o governo federal vai investir em obras de drenagem e contenção de encostas no Rio Grande do Sul, visando prevenir futuros desastres. Também está oferecendo suporte aos moradores afetados por desastres naturais por meio do programa Minha Casa, Minha Vida Calamidades.

Além disso, a Força Aérea Brasileira, o Exército e as defesas civis de vários estados mobilizaram aeronaves para auxiliar nas operações de resgate no Rio Grande do Sul.

Serviços paralisados

No total, 31 serviços de saúde foram afetados pelas chuvas e pelo aumento do nível do Guaíba. Dentre eles, dez suspenderam suas atividades e 21 operam com limitações. A equipe do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) está colaborando com a Polícia Rodoviária Federal (PRF) nos resgates aeromédicos das vítimas das enchentes.

Além da saúde, a área da educação também foi afetada. De acordo com informações da Secretaria Municipal de Educação (Smed), as escolas da rede municipal do estado continuarão fechadas hoje. Mas o regime de plantão será mantido para atender os alunos que necessitarem. 

Alerta em Santa Catarina

A Defesa Civil emitiu um alerta de estado de atenção para parte de Santa Catarina a partir das 4h da manhã de ontem. Este alerta permanecerá em vigor até às 23h59 de hoje, devido à previsão de uma frente fria vinda do Rio Grande do Sul, com potencial para tempestades.

You may also read!

Como são medidos os terremotos?

Os sismógrafos são os instrumentos que registram as ondas sísmicas provocadas pelo movimento das placas tectônicas. Davi Sousa Dois

Read More...

Você conhece a Síndrome de Wendy?

Quando o cuidado excessivo se torna uma armadilha. Nicoly da Maia No dia a dia, muitas pessoas colocam as

Read More...

Enxaqueca aura: entenda como funciona e como tratar

Dentre os três tipos de enxaqueca, a com aura é a que se caracteriza pelas alterações sensoriais.

Read More...

Leave a reply:

Your email address will not be published.

Mobile Sliding Menu