Os encantos históricos de Siwa: uma alternativa tranquila aos destinos turísticos tradicionais

In Artigo, Geral, Opinião

Paula Orling

O Egito é famoso por suas atrações turísticas tradicionais que enchem os olhos dos visitantes. Realmente é fascinante andar pelos bairros antigos do Cairo e perceber que tudo ao redor é história. É claro que saber que a cada passo existe um universo todo de mistérios é, no mínimo, instigante.

As majestosas pirâmides de Gizé, a esfinge que as acompanha, os imponentes templos de Luxor e Karnak, os misteriosos hieróglifos de Abu Simbel e as tumbas dos vales são de tirar o fôlego dos amantes da arqueologia antiga. No entanto, à medida que esses locais históricos icônicos atraem multidões de turistas, ficam cada vez mais apinhados, a poluição se instaura, o assédio comercial aumenta e o desconforto toma conta. Para quem busca fugir dos incômodos da cidade agitada, uma alternativa menos conhecida e igualmente fascinante surge: Siwa.

Conhecendo Siwa

Siwa, um oásis pitoresco e isolado no deserto ocidental do Egito, oferece uma experiência turística única e autêntica, que permite ao viajante se colocar bem perto da verdadeira cultura do Egito Antigo. Saindo das lembrancinhas fabricadas na China e tão comuns no Khan Al Khalili, no coração do Cairo, o visitante de Siwa adentra o universo real dos egípcios, com a chance de adquirir produtos factualmente egípcios e do tipo de qualidade que dura por décadas.

Enquanto os destinos tradicionais podem ficar lotados e agitados, Siwa proporciona uma atmosfera tranquila e serena, longe das multidões. Ao lado das pirâmides, é bem improvável que se consiga uma foto em que apenas uma pessoa apareça. Já em Siwa, usar um drone é uma boa opção para os entusiastas da fotografia minimalista e posada. Mesmo para viajantes de baixo custo, Siwa proporciona acomodações, refeições e mesmo amizades por um preço justo, que favorecem viajantes solo e contribuem para o desenvolvimento pessoal dos que procuram a fuga da agitação. Talvez a escritora de “Comer, rezar, amar”, Elizabeth Gilbert, devesse ter incluído “descobrir” na sua lista de verbos para a vida. Siwa seria o plano de fundo perfeito para esta parte da história.

Similar aos destinos tradicionais, Siwa possui uma rica história e arquitetura intrigante. Desde as antigas ruínas da cidade de Shali até o famoso Oráculo de Amon, há uma infinidade de experiências culturais e históricas esperando para serem descobertas em Siwa. Seus prédios remontam a acontecimentos e personagens importantes da história e a emoção que emana de cada pedra aquece o espírito dos amantes da história do Egito antigo.

Em Siwa existe uma história popular que conta que, em um de seus edifícios, o próprio Alexandre, o Grande, se consultou com um oráculo. O mito diz que o deus do sol Amon apareceu lá para Alexandre, no início de sua carreira militar, o declarando “Imperador do Mundo”, título que o governante carregou com orgulho durante toda a vida.

Foi nas águas de uma das piscinas termais de Siwa que Cleópatra se banhou, de acordo com a lenda. A famosa rainha grega do Egito viajou até Siwa para experimentar as águas termais e desfrutar de seus supostos benefícios para a beleza e a saúde. Os moradores locais acreditam que Cleópatra foi atraída pelas propriedades curativas das águas quentes e pelas paisagens deslumbrantes do oásis. 

O banho de Cleópatra tornou-se parte integrante da história e do folclore de Siwa, atraindo visitantes de todo o mundo que desejam experimentar os mesmos rituais de beleza que a rainha lendária. Ainda hoje, muitos acreditam que o banho de Cleópatra tem propriedades rejuvenescedoras e terapêuticas, além de proporcionar uma experiência relaxante e revitalizante para o corpo e a mente. 

Atualmente, os turistas que vão à Siwa têm a oportunidade de desfrutar de banhos semelhantes aos que Cleópatra teria desfrutado. As águas termais naturais de Siwa são conhecidas por sua temperatura agradável e suas propriedades terapêuticas, oferecendo aos visitantes a chance de relaxar e rejuvenescer em um ambiente deslumbrante e sereno. Nenhuma ciência confirma esta hipótese, mas é bem verdade que os turistas que mergulham na piscina de Cleópatra saem dela com um sorriso muito mais largo do que o que tinham ao entrar. Talvez seja o poder dos séculos ainda fazendo efeito, ou apenas o alívio de deixar o deserto causticante para experienciar o conforto das águas amenas. Seja como for, o banho da rainha ainda é uma das melhores experiências dos visitantes do oásis.

É interessante destacar que nos horários mais quentes do dia as piscinas também recebem crianças e adolescentes locais, o que torna a experiência da visita ainda mais emocionante. O povo de Siwa é receptivo, atencioso e disposto a atender turistas, principalmente os brasileiros simpáticos!

E falando de Brasil, o oásis de menos de 35 mil habitantes ainda conta com um restaurante brasileiro, onde a dona faz questão de expor a bandeira verde e amarela, além de matar a vontade dos viajantes em busca de coxinha e pão de queijo. Mas claro que, para os interessados na culinária local, existe uma vasta gama de restaurantes especializados nos pratos típicos deliciosos dos povos desérticos do Egito. Eles oferecem um cuscuz árabe digno do próprio Alexandre, o Grande, legumes que crescem em meio à paisagem árida e bebidas refrescantes para os não acostumados com as altas temperaturas do Saara. E, claro, se você é uma mulher em idade para casamento, se prepare para ser cortejada com flores e sucos naturais pelos jovens da vila.

Lago de Sal de Siwa.

Os enormes lagos de sal com piscinas termais, as dunas de areia limpa, os rebanhos de camelos e os hoteis em construção tradicional também são completamente instagramáveis. O visitante tem a chance de se integrar à cultura, comer o mesmo que os locais, dormir em ambientes similares às casas da região, com refrigeração natural em meio ao deserto, além de pagar uma quantia bastante justa pelo preço de todo o tour pelo lugar.

Enquanto os turistas dos destinos tradicionais podem enfrentar longas filas e restrições de acesso aos lugares pelos quais esperaram uma vida para conhecer, em Siwa há uma sensação de liberdade e espaço aberto. Os viajantes podem desfrutar de atividades ao ar livre, como caminhadas pelo deserto, passeios de bicicleta e até mesmo mergulhos relaxantes nas águas termais. Desta forma, se conectar com a natureza estonteante, o povo amigável, a cultura milenar e consigo mesmo, por meio da contemplação do belo. Carpe Diem! 

Com suas paisagens deslumbrantes e rica história, Siwa é verdadeiramente um destino turístico imperdível para aqueles que procuram escapar das multidões e explorar um lado menos conhecido do Egito, mas igualmente majestoso!

You may also read!

“Memórias Póstumas de Brás Cubas” faz sucesso nos EUA

O livro se encontra em primeiro lugar nas vendas da Amazon de literatura latina após viral na internet. Davi

Read More...

Japão: o centro da convergência cultural entre oriente e ocidente

Série Xógum retrata relações conflituosas no Japão antigo que permanecem preocupações econômicas e políticas no Japão contemporâneo.  Paula Orling

Read More...

Entenda a polêmica da PEC das praias

A polêmica levou o relator da proposta no Senado, Flávio Bolsonaro, a afirmar que vai alterar o texto da

Read More...

Leave a reply:

Your email address will not be published.

Mobile Sliding Menu