Quanto custa um carro de Fórmula 1?

In Economia, Esportes, Geral

O esporte mais caro do automobilismo usa tudo de mais inovador para o máximo de desempenho.

Gustavo Montejano

Todas as peças de um carro de Fórmula 1 são projetadas especialmente para oferecer o máximo de desempenho, e por isso um carro dessa categoria tem um preço exorbitante. As escuderias, como Ferrari, Mercedes-Benz e Red Bull Racing, são patrocinadas por diversas outras marcas e empresas, mas a Federação Nacional do Automóvel (FIA), estabeleceu um teto de gastos, para 2022, sendo um máximo de R$763,8 milhões por equipe.

A Fórmula 1 é um campeonato que ocorre todos os anos desde 1950. Entre todos os esportes do automobilismo ele se encontra no topo, sendo para muitos dos fãs o mais emocionante. O que chama a atenção são os carros de alto desempenho, projetados para alcançar altas velocidades em tempos recordes e frenagem mais rápida ainda. 

Há muitos carros considerados icônicos para os fãs na Fórmula 1 e ao longo dos anos o designer foi sendo atualizado. Nessa temporada de 2022, a tecnologia usada nos motores híbridos turbos nem se compara aos da década de 50. E todos esses investimentos têm um custo de aproximadamente R$80 milhões em apenas um carro, conforme o que a Red Bull Racing divulgou. Mas o valor varia para cada equipe. A disputa pelo prêmio do campeonato de construtores depende da construção do veículo e seu desempenho nas pistas.

O carro de Juan Manuel Fangio

Mensurar o valor de um carro de Fórmula 1, quando quem o dirigiu foi uma lenda, não é uma tarefa fácil. Por exemplo, o Mercedes-Benz W196, pilotado por Juan Manuel Fangio, em 1954, no seu segundo título mundial. O Argentino pilotava uma verdadeira máquina de velocidade, mas muito diferente dos carros de hoje. 

O Mercedes contava com um motor 2.5L de oito cilindros, freios a tambor nas quatro rodas, potência de 290 cavalos à 8.700 RPM, atingindo uma velocidade máxima de 280 km/h, e além de veloz e tecnológico para os padrões da época, esses carros eram conhecidos por não oferecerem segurança para o piloto. 

Juan Manuel Fangio no GP da Alemanha de 1954

Este veículo foi arrematado no leilão de Goodwood, na Inglaterra, em 2013, por 19,6 milhões de libras ou R$ 113 milhões.

Da Fórmula 1 para os carros comuns


Muitas peças produzidas para esse esporte automobilístico possibilitaram a criação de carros populares usados no dia a dia por pessoas comuns. Se seu carro possui freios ABS, controle de tração, turbocompressores, partida pelo botão start/stop, aletas/borboletas para troca de marchas, pneus com ranhuras e sulcos e suspensão ativa, agradeça a Fórmula 1.

You may also read!

Dengue e Covid: os diferentes sintomas das doenças

Febre e dor de cabeça são sintomas comuns, e especialistas apontam quais devemos nos alertar.  Davi Sousa O Brasil

Read More...

Como as microssonecas afetam nossa saúde

As “inofensivas” sonecas que duram apenas segundos podem significar uma péssima rotina de sono. Nicoly da Maia As microssonecas

Read More...

Governo lança programa com investimentos de R$ 700 milhões para Amazônia

A parceria com 70 municípios prevê a redução de desmatamentos e incêndios zero até 2030 na Amazônia. Elinelma Vasconcelos

Read More...

Leave a reply:

Your email address will not be published.

Mobile Sliding Menu