Presídio feminino em Santa Catarina será fechado

In Geral, Política

Por falta de recursos e de estrutura adequada, a sede feminina do sistema penitenciário de Tubarão será desativada.

Paula Orling

A Secretaria de Administração Prisional e Socioeducativa (SAP) divulgou no final de outubro, em nota, o fechamento do Presídio Feminino de Tubarão, no sul de Santa Catarina. O motivo da decisão é a falta de estrutura do estabelecimento e as detentas serão realocadas.

Sem ter ambientes próprios para trabalhos em grande escala, área materna infantil, entre outros espaços, o presídio não está nos parâmetros do sistema prisional de Santa Catarina. Por não haver possibilidade prática de reforma, o prédio será usado para outro fim ainda não definido pelo governo do estado.

As atuais detentas de Tubarão serão realocadas assim que acontecer a inauguração de um novo presídio feminino em Joinville, no norte do estado. A construção deste novo estabelecimento começou em 2014 e ainda está em andamento.

Condições em Santa Catarina

A situação no estado de Santa Catarina varia de acordo com as regiões. No litoral do estado, na cidade de Itajaí, o presídio sofreu denúncias em abril de 2021 por servir carne estragada às detentas, entre outras situações questionadas.

A respeito das problemáticas do Presídio Feminino de Itajaí, Érika Mendes, que está em liberdade condicional, compartilha suas experiências no local. “No Matadouro, em Itajaí, é precário. Lá não tem um vaso sanitário, é um cano no chão para as mulheres se agacharem e fazerem as necessidades”, destaca.

Apesar das crises no presídio de Itajaí, existem disparidades nas condições dos estabelecimentos presidiários catarinenses. A ex-agente penitenciária Francine Cordeiro relata que o presídio onde trabalhava, nos municípios de Florianópolis e Tijucas, sempre foi muito organizado e as detentas nunca foram negligenciadas.

Ela explica que o presídio onde trabalhava era pequeno e acomodava poucas presas. Além disso, acrescenta que “a maioria delas trabalhava, então elas tinham dinheiro para comprarem o que elas quisessem. Elas tinham visita, então poderiam estar recebendo da visita compras, inclusive dois pacotes de absorventes por semana”, completa.  

A respeito da crise no sistema carcerário brasileiro, o G1 divulgou em fevereiro do ano passado, um projeto do Monitor da Violência. Esta iniciativa foi construída em parceria com o Fórum Brasileiro de Segurança Pública e o Núcleo de Estudos da Violência da USP.  

A partir da pesquisa, revelou-se que 710 mil pessoas se encontram em unidades prisionais em fevereiro de 2020 no Brasil e mostram superlotação do sistema. A criação de novos ambientes prisionais em Santa Catarina é incentivada pelo Governo do Estado. 

You may also read!

Desnutrição infantil atinge população.

Fome no Brasil promove alerta sobre as consequências da desnutrição infantil

Diante do cenário de fome crescente no Brasil, pesquisas revelam como a desnutrição infantil afeta as demais etapas da

Read More...
Sessões terão apoio da ANS

ANS retira limite de sessões com fisioterapeutas, psicólogos e outros

A decisão sobre as sessões impacta a usuários de planos de saúde. Lucas Pazzaglini A Agência Nacional de Saúde

Read More...
Plástico é produto de difícil reciclagem

No more plastic! Canadá proíbe a produção e importação de plásticos de uso único

A nova regulamentação entrará em vigor a partir de dezembro de 2022. Cristina Levano O governo canadense apresentou as

Read More...

Leave a reply:

Your email address will not be published.

Mobile Sliding Menu