Estudo aponta que uso de adoçante zero pode aumentar risco de ataque cardíaco e derrame

In Geral, Saúde

Eritritol, presente no adoçante, está ligado a rápida coagulação do sangue.

Isabella Maciel

Um estudo publicado no periódico Nature Medicine, divulgado dia 27 de fevereiro, revelou que o eritritol, composto presente em adoçante, pode causar derrame e ataque cardíaco. Apesar dos apontamentos do estudo, ainda é necessário mais pesquisas para ligar diretamente o uso dessa substância com o surgimento desses sintomas.

O eritritol, substância artificial usada em adoçantes para substituir o açúcar de forma mais saudável, é considerado zero caloria e tem cerca de 70% de doçura, não aumenta o açúcar no sangue, causa menos efeito laxante e também é encontrado em frutas e vegetais de forma natural.

Pesquisas realizadas em laboratório e em animais reveladas no artigo apontam que o eritritol tem sido ligado a rápida coagulação do sangue. Desse modo, ele causa o entupimento e rompimento das artérias ou de um vaso sanguíneo, e também pode gerar ataque cardíaco e derrame. 

Além de ser encontrado em frutas e vegetais de forma natural, o eritritol também é encontrado no corpo humano, porém, em quantidades baixas que não seriam responsáveis pelos níveis medidos na pesquisa, diz Stanley Hazen, um dos cardiologistas da Cleveland Clinic.

Como o estudo foi feito

Os cientistas da Cleveland Clinic avaliaram dados de mais de quatro mil americanos e europeus que passaram por avaliação cardíaca de rotina. Eles apontaram que aqueles que tinham altos níveis de eritritol no sangue apresentaram maiores tendências de sofrer problemas cardíacos. 

Em nota, a Associação Brasileira da Indústria de Alimentos para Fins Especiais e Congêneres (ABIAD) destacou que “o estudo referido teve como base pessoas que já apresentavam problemas cardiovasculares.”

“Seria necessário verificar se os efeitos são observados em pessoas saudáveis a longo prazo. Além disso, (os experimentos) usaram quantidades diferentes das preconizadas pelo uso comumente”, escreveu a assessoria de imprensa da ABIAD.

O Dr. Andrew Freeman, do National Jewish Health, disse em entrevista à CNN que “a ciência precisa mergulhar mais fundo no eritritol e com urgência, porque essa substância está amplamente disponível no momento. Se for prejudicial, devemos saber sobre isso.” Sugere Freeman, do National Jewish Health.

You may also read!

Dengue e Covid: os diferentes sintomas das doenças

Febre e dor de cabeça são sintomas comuns, e especialistas apontam quais devemos nos alertar.  Davi Sousa O Brasil

Read More...

Como as microssonecas afetam nossa saúde

As “inofensivas” sonecas que duram apenas segundos podem significar uma péssima rotina de sono. Nicoly da Maia As microssonecas

Read More...

Governo lança programa com investimentos de R$ 700 milhões para Amazônia

A parceria com 70 municípios prevê a redução de desmatamentos e incêndios zero até 2030 na Amazônia. Elinelma Vasconcelos

Read More...

Leave a reply:

Your email address will not be published.

Mobile Sliding Menu