Um em cada cinco adultos sofre com cansaço diário

In Geral, Saúde

Mulheres são mais propensas a sentirem fadiga excessiva, segundo estudo.

Sara Helane

Um em cada cinco adultos sofre de cansaço generalizado em todo o mundo. Esse cansaço diário pode durar até seis meses, de acordo com uma meta-análise realizada em 2023 que cruzou dados de 91 estudos relacionados ao tema. A análise também indicou que, apesar do tempo de duração, essa fadiga pode não ter causas médicas conhecidas. Além disso, vários dos estudos realizados afirmaram que as mulheres estão mais propensas a esse sintoma mesmo se tiverem filhos ou não.

O cansaço pode ser considerado um problema real quando atrapalha as atividades do dia a dia, seja tanto na parte profissional quanto na parte pessoal, explica o médico e cirurgião geral, Fabio Strauss. Ainda, segundo o médico, o cansaço diário faz com que o paciente tenha menos vontade, menos energia, menos disposição para se cuidar, para fazer exercício e até para se alimentar bem. 

O Dr. Fabio diz que essa fadiga pode desencadear outros problemas de saúde. “A pessoa que se sente assim o tempo todo tende a ir para aqui que é mais fácil, ou seja, começa a pedir comida, fast-food ou comer qualquer coisa que tem em casa. E isso normalmente leva a uma piora da saúde, leva um cansaço maior, piora da saúde e vira uma bola de neve que fica muito difícil de sair dela”, conta. 

Identificar o cansaço diário

Ainda de acordo com o cirurgião, a identificação da causa do cansaço, pode ser feita através da consulta com o paciente. “Normalmente eles comentam que já acordam cansados, além de não dormir bem, não tem energia para produzir no trabalho, não tem disposição para ir numa academia, nem para cuidar da alimentação, para cuidar da família, para render no trabalho ou em casa. Sabendo disso, tentamos identificar a origem desse cansaço”, fala.

Além das consultas, o médico diz que por vezes a identificação é feita através dos exames de sangue em que se pode verificar se o paciente tem alguma deficiência de vitamina ou deficiência hormonal que podem estar causando esse cansaço.

Fadiga excessiva

A estudante de Educação Física, Priscila Câmara, conta que sofreu com o cansaço diário durante grande parte da sua vida. Ela foi diagnosticada na fase adulta de uma fadiga que já lhe acompanhava desde a infância. “Depois do diagnóstico eu fui entender que não era preguiça e não era má vontade. Era um cansaço que vinha de algo que já estava sobrecarregando. E isso me afetou em várias fases da vida, e afeta ainda, porque você não se desvincula disso, dessa sensação”, relata.

Priscila começou a sentir que havia algo de errado nas suas tarefas do dia a dia. “Quando eu me via em situações em que eu começava a fazer minhas coisas, eu queria fazer tudo ao mesmo tempo, sempre, e não conseguia terminar nada. Então, as frustrações me geraram um cansaço absurdo. Um cansaço que parecia que eu tinha colhido café o dia inteiro. Isso me gerava uma sensação de que eu era uma pessoa inútil”, cita.

A estudante ainda relata que, com a ajuda dos profissionais, encontrou no esporte, uma espécie de terapia para agregar no tratamento.  Segundo ela, o esporte lhe ajuda a ter motivação para cumprir as obrigações do dia a dia. “Eu gosto do fisiculturismo, sempre gostei, apreciei, estou em processo. Eu tracei isso e é como minha terapia, é algo que eu quero mais e eu vou conseguir”, afirma.

Saúde mental e cansaço

A psicóloga Natália Ferreira explica que, além dos fatores físicos, os fatores mentais também podem desencadear o esgotamento emocional. Segundo ela, através do estresse exacerbado, as pessoas estão tendo dificuldades para dormir, para se dedicar até mesmo para sua alimentação, já que muitas também comem olhando o celular e isso pode ser perigoso. Todos esses fatores podem fazer com que as pessoas se “desliguem” tanto da vida quanto das atividades que fazem. 

Natália explica que o esgotamento emocional pode estar diretamente ligado à sensação de sonolência. “Como estamos sempre online, nós temos inúmeros estímulos e informações diferentes. Nós somos bombardeados com informações o tempo todo, com pressões estéticas o tempo todo, com pressões de como as pessoas deveriam ser. Isso gera uma comparação com o outro, um sentimento de inferioridade. Isso pode deixar uma pessoa tão estressada que ela vai ficando com sintomas de esgotamento emocional”, fala.

A fadiga pode aparecer por meio de diversos sintomas: nervosismo, irritabilidade, dor de cabeça, falta de memória, dores musculares, desânimo, falta de energia, dificuldade de concentração. Segundo a psicóloga, esses sintomas também podem estar associados à sobrecarga psíquica dos pacientes.

Existe uma diferença entre cansaço comum e cansaço generalizado, segundo Natália. “O cansaço comum é aquele que quando você então se submete a um descanso você melhora e o patológico sabe que você não consegue se submeter a isso ou mesmo quando se submete não sente uma melhora considerável”, explica.

Alertas

O médico ressalta que se deve ter cuidado com os sintomas do cansaço extremo. “É importante as pessoas entenderem que se sentir cansado, ter sono todos os momentos do dia, acordar cansado, querer estar sempre na cama, querer dormir mais do que deveria, ter preguiça de estudar e trabalhar, não é normal”, alerta.

Fábio ainda fala que se percebido os sintomas, o paciente deve procurar imediatamente um médico, pois, quanto antes o diagnóstico for feito, o tratamento se torna mais fácil. “A gente sempre diz que o diagnóstico precoce, facilita muito para termos um resultado satisfatório”, completa.

You may also read!

Jovens se sentem mais felizes sem o celular, diz pesquisa

Entenda como os adolescentes lidam com o tempo de tela. Luiza Strapassan O uso do celular entre os jovens

Read More...

Programas de exercícios melhoram a qualidade de vida de pacientes com câncer de mama metastático

A atividade física é benéfica para pacientes com câncer de mama avançado, melhorando a qualidade de vida, reduzindo a

Read More...

Hábito de roer as unhas atinge até 30% da população global

Roer as unhas pode parecer uma reação normal ao estresse e ansiedade, mas pode apresentar nocividade à saúde. Eduardo

Read More...

Leave a reply:

Your email address will not be published.

Mobile Sliding Menu